Resenha: Silêncio

2 comentários

No terceiro livro da série Hush, Hush, após o choque de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, Nora Grey não se lembra de nada que aconteceu nos últimos cinco meses, justamente a época em que o anjo caído Patch entrou em sua vida. Para piorar sua situação, a jovem passa a ter conturbadas visões e é constantemente assombrada pela cor preta. Ao tentar descobrir o que aconteceu consigo durante esse período, pessoas perigosas, com poderes sobrenaturais, cruzam seu caminho. Nora não sabe mais em quem pode confiar, mas um estranho desconhecido, que mexeu bastante com ela, parece ter a chave para solucionar o mistério que a cerca.

   Após todas as reviravoltas que aconteceram no livro anterior, Crescendo, e após ser sequestrada por Hank Millar, um nefilim que ela descobriu ser seu pai biológico, Nora acorda sem memória dos últimos cinco meses em um cemitério, esquecendo de tudo a partir do momento onde conheceu Patch. Depois de ser encontrada, vagando no cemitério local, ela tenta se adaptar ás mudanças dos cinco meses que "esteve fora".
   A mudança mais difícil para ela, é que a mãe está namorando novamente, e pretende se casar com Hank Millar, que na verdade é seu pai e é o vilão, mas ela não lembra. Como boa criança que é, decide que vai impedir os dois de se casarem. Boa parte do livro Nora fica tentando se lembrar desses meses, e começa a ter estranhos flashs, aonde olhos negros olham para ela. Quando ela se mete numa confusão, acaba conhecendo um cara bonito e misterioso chamado Jev (Patch), que parece já conhecê-la, e acaba despertando nela sentimentos que ela não sabia que tinha (achei essa parte muito clichê).
   Para protegê-la, Jev quer sair da vida dela, e deixa isso bem claro durante, dois capítulos, talvez. Isso me lembrou muito Lua Nova, quando Edward some e etc, só que dessa vez Jev convenceu os nefilins a apagarem a memória dela, impedindo que ela lembre que o conheceu.
   Quando sua mãe sofre um acidente em casa, ela começa a desconfiar ainda mais de Hank Millar. O livro tem uma Nora confusa, alianças dela com Marcie Millar, brigas dela com sua amiga Vee, e a melhor parte, a única que faz sentido e que fica legal no livro, que é o casal Nora e Patch. Tudo isso que já está batido nos livros adolescentes. O problema do livro, para mim, foi o mesmo dos anteriores, a personagem principal é tão infantil em algumas partes que chega a ser irritante, a melhor amiga dela Vee, é pior ainda. E ela chamar a garota que ela não gosta, sua meia irmã, Marcie Millar de arqui-inimiga só piora as coisas. Não acredito que todos os adolescentes na idade dela, 17, se não me engano, sejam assim tão infantis, e as crises de ciúme da personagem principal cada vez estão mais batidas.
   Eu gosto da série, e até gostei desse livro, só me cansei da personagem principal, e a autora a fazer ficar desmemoriada só piorou as coisas. O livro anterior, Crescendo foi bem melhor que esse na minha opinião, apesar de esse ainda deixar vontade de comprar o próximo, que espero que seja o último, apesar de imaginar que o desfecho da história será clichê. Mas comprarei para saber do final do Patch, ou Jev.

Mudança de Layout

0 comentários

Vi que algumas pessoas estavam tendo dificuldade de comentar no layout antigo, então tive que mudar. Achei esse bem mais bonito que o anterior. Vocês gostaram?

Resenha: Surpresa do Além

0 comentários
  Harper Conelly era uma garota comum até ser atingida por um raio e desenvolver um estranho dom, ela pode sentir os mortos. Desde então, ela e seu meio irmão Tolliver cruzam os Estados Unidos para encontrar corpos de pessoas desaparecidas. Afinal, as pessoas merecem saber a verdade sobre a morte de seus entes queridos.
   Depois de encerradas as investigações em Sarne e da retirada das acusações de envolvimento num triplo homicídio narrado em Visão do Além, o primeiro volume da série Harper Connelly Mysteries, Harper e seu meio irmão Tolliver estavam de malas prontas para o próximo trabalho. Dessa vez apenas uma demonstração para alunos de antropologia de uma universidade em Memphis. Harper já estava preparada para chegar ao cemitério mais antigo da cidade, analisar uma ou duas sepulturas e chocar os estudantes céticos. Bom, era o que ela planejava, mas os mortos também podem nos surpreender.

   Esse segundo livro se passa logo após o primeiro, Visão do Além, Harper e Tolliver são chamados à uma universidade em Memphis, aonde o professor de antropologia Clyde Nunley pretende testá-la na frente de seus alunos para provar que ela é uma farsante. Ele os leva até um cemitério bem antigo, aonde os dados dos cadáveres foram descobertos recentemente e só ele e seus alunos tem acesso. Como era de se esperar, as coisas não vão como ele esperava, e além de Harper acertar todas as causas de morte, ainda descobre que em um túmulo, existem dois corpos, o original, de um senhor morto a muito tempo e de uma jovem, morta recentemente, Tabitha Mortensen, que Harper já tinha falhado em tentar encontrar cerca de um ano e meio atrás.
    Claro, que quando isso acontece todos estranham e desconfiam dessa coinscidência, e Harper e Tolliver acabam se envolvendo novamente com a polícia, e pior, como suspeitos. Além da polícia local achar que eles estão envolvidos, o fato recém-descoberto por eles, que a família Mortensen se mudou para Memphis cerca de um ano atrás, parece de certa forma tirar o foco das investigações dela e de seu irmão, além de começarem a desconfiar de uma conspiração.
   A narrativa de Charlaine Harris é muito boa, e consegue prender a gente, nesse livro percebemos que a relação entre Tolliver e Harper é bem mais forte do que percebemos no primeiro livro e novos sentimentos são despertados (o que eu esperava desde o primeiro livro), e que realmente gostei. A história, assim como a do primeiro livro, tem muitos personagens suspeitos, como os pais da menina, o meio irmão Victor, um adolescente rebelde, assim como outros personagens.
   O ponto alto do livro na minha opinião, foi a descoberta de sentimentos não-fraternais de Harper por seu irmão, o que me faz ficar muito ansiosa pelo próximo livro, além de todo o mistério envolto na morte da menina, e o aparecimento de um personagem não esperado no cemitério. Nunca tinha lido nenhum livro policial, e essa série está sendo minha introdução nesse tipo de leitura, e posso dizer que está colocando esse gênero literário entre meus favoritos. Vocês tem dicas para livros policias?

Resenha: Visão do Além

4 comentários


Harper Connelly e seu meio-irmão, Tolliver, são especialistas em realizar o serviço (encontrar cadáveres de pessoas desaparecidas), receber o pagamento e partir rapidamente, pois as pessoas que os contratam têm o estranho hábito de não querer ouvir o que eles têm a dizer. E à primeira vista, a experiência com os moradores da pequena cidade de Sarne, nas Montanhas Ozarks, parece não ser diferente. Uma adolescente está desaparecida, e Harper sente imediatamente que ela está morta. Mas os segredos que envolvem este assassinato e a própria cidade são profundos demais até mesmo para que a habilidade especial de Harper consiga desenterrá-los. Ao perceber a hostilidade crescer ao redor deles, ela e Tolliver querem apenas resolver o assunto e ir embora, mas então outra mulher é assassinada... E o criminoso ainda não terminou seu trabalho... 

   Nunca tinha lido nada da Charlaine Harris, mas sempre fui louca para ler a série Sookie Stackhouse (que deu origem a série True Blood, da HBO) que gosto muito, quando lançaram o Visão do Além, o primeiro livro da série Harper Connelly Mysteries, logo imaginei que não iria me decepcionar.
   A protagonista da história é Harper Connelly, uma jovem de 24 anos, que após ser atingida por um raio, ainda na adolescência, ganhou estranhos poderes. Ela sente os cadáveres, e ainda consegue ter um pequeno vislumbre do que aconteceu antes da morte deles. Ela e o meio-irmão Tolliver, viajam pelo país inteiro prestando seus "serviços".
   Ambos tiveram uma adolescência conturbada, a mãe de Harper se casou com o pai de Tolliver, e os dois se acabaram em drogas, e todos viveram a adolescência de forma precária. Tudo foi abaixo depois do sequestro da irmã de Harper, Cameron, que nunca chegou a ter um desfeixo. Após isso, não deu mais para disfarçar a situação da família, e acabou que ela foi parar num lar adotivo, enquanto Tolliver foi viver com o irmão mais velho, e as duas meninas irmãs tanto de Tolliver quanto de Harper foram viver com uma tia.
    Após algum tempo, que não fica especificado no livro, ela e seu meio-irmão Tolliver que tem uma relação muito forte, passam a viver juntos, e ela passa a usar seu dom para conseguir dinheiro. O negócio deles funciona assim, é bem lucrativo, apesar de os clientes serem incrédulos as vezes. Funciona assim: o interessado os procura e eles descobrem aonde está o corpo da vítima, e no caso de já saberem dessa localização, querem saber como a pessoa morreu.
   No início do livro, eles são chamados para a cidadezinha de Sarne, e logo de ínicio dá pra perceber que eles não são bem-vindos lá, e que todos a acham uma farsante. O serviço dela é descobrir que fim teve Tennie Hopkins, uma adolescente que todos na cidade achavam que tinha sido assassinada por seu namorado Dell Teague, e aparentemente depois disso Dell se suicidou.
   Ela conhece um policial meio bobo, Hollis Boxleitner, (que eu não consegui evitar de notar uma certa semelhança com o Hoyt de True Blood), que demonstra um certo interesse nela. Com o tempo, além de descobrir o corpo da jovem, e descobrir que ela foi assassinada, assim como seu namorado, ela acaba descobrindo que a irmã mais velha de Tennie, Sally (esposa de Hollis), também foi assassinada, aí a coisa fica mais séria, três pessoas assassinadas, e ao que parece, pela mesma pessoa.
   Aos poucos as coisas vão piorando para Harper e Tolliver, e além do dono do hotel querer vê-los pelas costas, Harper é atacada por alguns adolescentes, o que fas as coisas ficarem estranhas, porque o assassino, por algum motivo não quer Harper na cidade, e ele realmente pode ser qualquer um. Durante diferentes pontos do livro desconfiei quase de todos os personagens. É um ótimo livro de mistério/suspense.
   Achei o livro muito bom, ele conseguiu me prender ao ponto de lê-lo em menos de um dia, achei a leitura muito fácil. O defeito foi que o livro tem alguns erros de escrita, e a parte dos diálogos é bem desorganizada, ás vezes você não sabe o se a personagem está falando ou pensando. Achei a capa linda, bem melhor que a original. Enfim, vale a pena ler o livro, dei três estrelas mas realmente gostei muito do livro. Quanto ao final, foi bem inesperado para mim, porque jurava que o assassino era outra pessoa. Espero que no próximo livro, a relação de Harper e Tolliver fique ainda mais forte, e também que o próximo livro, Supresa do Além, que já tenho aqui em casa, seja melhor revisado.

Caixa do Correio #1

0 comentários
Depois de cinco meses sem comprar nenhum livro, para provar que eu não sou viciada, acabei cedendo ao vício (viu a falta de coerência?) e comprei alguns livros esse mês, 


Achei a capa de Cidade dos Ossos linda, e bem enfeitada. E estava ansiosíssima para ler O Festim de Corvos, o quarto livro d'As Crônicas de Gelo e Fogo. Também comprei Visão do Além e Ecos da Morte parece que são bem parecidos, apesar de o primeiro ser mais adulto. A o penúltimo livro da série Hush Hush, Silêncio, e Lugar Nenhum, do Neil Gaiman, sempre quis ler algo dele e agora finalmente vou!


E a editora Leya ainda me mandou Supresa do Além, o segundo livro da série Harper Connelly Mysteries, da Charlaine Harris.

Resenha: Sangue Quente

3 comentários
 

"A VIDA É COMPLICADA QUANDO SE ESTÁ MORTO! GRANDE APOSTA MUNDIAL! R é um jovem vivendo uma crise existencial, ele é um zumbi. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a vida de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa."

   Sinceramente o livro me pareceu bem estranha antes de começar a lê-lo, ele estava desde o ano passado largado na minha estante, aí me empolguei após assistir as duas temporadas de The Walking Dead, e peguei ele para ler. Não tem nada a ver com TWD, como já imaginava, por se tratar de um romance zumbi/humana. O que me fez comprá-lo foi a capa, que achei linda, e achei que não seria um livro meloso e romântico, acertei nisso.
   Comecei o livro não esperando nada dele, porque, afinal, zumbis são criaturas nojentas, que comem pessoas, e andam apodrecidos por aí, enfim, achei péssima a idéia de romantizarem o tipo menos romantizável (?) de criatura. Mesmo depois de fazerem romances com vampiros, lobisomens, fantasmas, súcubos e criaturas mitológicas, nunca imaginei que chegariam nos zumbis!
   No início do livro conhecemos R, um zumbi diferente que pensa quase que normalmente, apesar de não conseguir se expressar bem, ele consegue dizer algumas palavras. Quando ele se transformou em zumbi, ele esqueceu de toda a sua vida, quem era, do que gostava, aonde vivia e tudo mais, recomeçou do zero, e por mais que tentasse, não conseguia recuperar suas raízes. Apesar disso fazer com que pareça que ele provavelmente também aderiu ao vegetarianismo já conhecido em outras séries sobrenaturais, mas não, no ínicio do livro, R é um verdadeiro zumbi que se alimenta de humanos, e come cérebros, como é de se esperar de qualquer zumbi.
   Em uma de suas caçadas, com seus companheiros zumbis, ele mata um rapaz chamado Perry, e comendo seu cérebro, vive algumas memórias dele (o que sempre acontece, caso você não saiba), e assim revive momentos dele com sua namorada, que por sinal, ele impede de ser atacada por outros zumbis, e a leva para o aeroporto onde os zumbis da redondeza moram, disfaçada. Lá eles se conhecem melhor e a relação deles se aprofunda.
   Julie fica realmente intrigada com o zumbi que salvou a sua vida, e que passa tempo ouvindo Sinatra. Quando ela resolve voltar para casa (num estádio onde estão reunidos os refugiados dessa cidade) ele resolve ajudá-la e protegê-la. Aí a história começa a ficar boa, com bastante ação e coisas do tipo. Acontece que o pai de Julie, Gen. Grigio, protege o estádio e realmente não está afim de ter um zumbi apaixonado dentro do refúgio deles, e por mais que R consiga o enganar no início, ele logo descobre que ele é um zumbi.
   Vemos desde brigas familiares (Julie x Gen. Grigio), até a batalha de todos contra os "Ossudos", as criaturas mais sinistras do livro, de puro esqueleto que controlam os zumbis. Vemos o início da revolução dos zumbis, que tendo sua coinsciência de volta, começam a buscar pela "salvação", assim como R. O autor conseguiu me passar a idéia que quando uma civilização está estragada, você pode voltar atrás e tentar consertá-la, que sempre tem uma esperança.
   Achei a história boa e dinâmica, depois da centésima página, realmente conseguiu me prender, não esperava que fosse gostar do livro, mas ele me supreendeu.

Lançamentos: Maio

1 comentários

Através de Tessa Gray, uma jovem órfã de 16 anos, somos apresentados aos Caçadores das Sombras da Inglaterra vitoriana. Como seus representantes do século XXI, eles também combatem os elementos rebeldes do submundo — vampiros e lobisomens. E são eles que vão ajudar Tessa quando esta, ao sair de Nova York em busca do irmão, seu único parente vivo, é raptada pelas irmãs Black.  Mas Tessa não é uma senhorinha indefesa. Dona do estranho poder de se transformar em qualquer um apenas tocando em algum pertence dessa pessoa, é um objeto valioso para o submundo. Ao lado do temperamental e misterioso Will e de seu melhor amigo James, cuja frágil beleza esconde um terrível segredo, Tessa vai aprender a usar seu poder e ganhar um lugar ao lado deles na batalha entre as trevas e a luz.


O arqueólogo Luka Hzujak, especialista em labirintos mitológicos, acaba de ser assassinado. Seu corpo, esquartejado, é encontrado dentro de uma mala numa estação de Nova York. Para descobrir quem fez isso a um de seus melhores amigos, Victor Sullivan, um amante de charutos que dedica sua vida a “aquisições praticamente impossíveis de antiguidades”, pede ajuda ao caçador de tesouros Nathan Drake, seu pupilo e companheiro de peripécias. Junto com Jada, a filha do arqueólogo morto, Sully e Drake vão enfrentar a maior aventura de suas vidas.


O planeta Worlorn já foi palco de um festival interplanetário que, por 10 anos, reuniu 14 mundos. Agora é um planeta morto, cada vez mais distante do conjunto de sóis que lhe deram vida, gelado e prestes a mergulhar em uma noite sem fim, por séculos. Um lugar onde o amanhecer é aterrorizante e os dias sombrios, onde a vida se esvai junto com os últimos resquícios de luz. E os homens fazem seus próprios códigos de honra. É para lá que o aventureiro Dirk t’Larien viaja, após receber uma joia-sussurrante, recordação de uma promessa feita a um amor perdido há sete anos. Mas Worlorn não é o mundo que Dirk esperava encontrar. E Gwen Delvano não é mais a mulher que ele conhecera e um dia amara. Nesse mundo agonizante e sem leis, fica cada vez mais difícil distinguir entre amigos e inimigos. Enquanto os personagens lutam para se manter vivos, uns sonham em fugir, outros querem vingança, e alguns apenas esperam uma morte brutal e inevitável.


'Ruas estranhas' é uma coleção de 16 histórias fantásticas urbanas onde os editores George R. R. Martin e Gardner Dozois reúnem diversos nomes da literatura como Charlaine Harris, Conn Iggulden, Glen Cook, Patricia Briggs, Diana Gabaldon e outros autores de destaque. Nessas histórias, eles exploram mundos de vampiros sedutores, lobisomens assustadores, espíritos que ajudam humanos a solucionar mistérios, demônios, zumbis e outras criaturas que habitam pesadelos.


Elena conseguiu resgatar Stefan da terrível prisão em que ele se encontrava, mas de volta à Fell's Church, ele está tão enfraquecido que mesmo o poderoso sangue da amada parece incapaz de devolver suas forças. Já Damon é alvo de uma magia muito poderosa, que o transforma em humano. Disposto a tudo para recuperar seu antigo poder, ele não hesita em enganar os amigos para conseguir o que quer, e nada vai impedi-lo de voltar à Dimensão das Trevas. Enquanto isso, o plano dos demônios kitsune enfim chega ao seu ápice e parece impossível conter o avanço da Última Meia-Noite.



No segundo volume da série, Parasita vermelho, o jovem Sherlock mal pode acreditar quando Mycroft chega para visitá-lo na mansão Holmes, em Hampshire. Mas o retorno do irmão mais velho revela ter um sério propósito, que vai além de rever Sherlock: ele precisa alertar Amyus Crowe, seu tutor, sobre um terrível criminoso. Há indícios de que o homem, o assassino mais famoso do mundo e supostamente morto, está na realidade escondido no interior da Inglaterra, sob o pseudônimo de John St. Helen.
Mesmo contra a vontade Mycroft ou de Crowe, o jovem detetive segue seu instinto aventureiro e se envolve numa trama mortal. Quando ninguém parece disposto a lhe contar a verdade, é necessário correr alguns riscos para descobri-la por si mesmo, e é assim começa mais uma jornada sem igual para Sherlock Holmes. Desta vez, ele atravessará o oceano em direção à misteriosa América – onde um amigo corre perigo e um exército derrotado ameaça se erguer novamente.

Filho de Poseidon, o deus do mar, um dia Percy desperta sem memória e acaba em um acampamento de heróis que não reconhece. Agarrado à lembrança de uma garota, só tem uma certeza- os dias de jornadas e batalhas não terminaram. Percy e seus novos colegas semideuses vão enfrentar os misteriosos desígnios da Profecia dos Sete. Com início no outro acampamento meio-sangue e se estendendo para além das terras dos deuses, esta sequência da série 'Os heróis do Olimpo' apresenta novos semideuses e criaturas, além de trazer de volta alguns monstros.


Eva Nove tem doze anos e sempre morou com Mater, uma robô azul-clara extremamente amorosa e maternal, em um abrigo subterrâneo ultratecnológico no planeta Orbona. Quando um estranho invade e destrói o lar que as duas dividem, a menina é obrigada a fugir para a superfície — um mundo que ela só conhece por meio de holoprogramas. Apesar do perigo, é a primeira chance que tem de perseguir seu maior desejo: encontrar alguém como ela, outro humano. Eva sabe que eles existem porque guarda um item valioso: uma ilustração de uma garotinha, um adulto e um robô, junto de uma estranha palavra: “WondLa”. A busca vai levá-la a descobertas que vão muito além de suas maiores expectativas, em uma jornada surpreendente, divertida e emocionante, que vai tirar o fôlego do leitor e inspirar muitos sonhos.